Santa Casa da Misericórdia de Valpaços

 

 blank

Bem Vindo

Mensagem do Provedor

Provedor SCMV

É um enorme privilégio poder desempenhar as funções de Provedor da Santa Casa da Misericórdia da minha terra, uma instituição que no próximo ano vai comemorar setenta anos de história.

Foi constituída à volta do seu hospital, durante muitas décadas a sua única valência, mas que hoje representa a maior IPSS do Distrito de Vila Real, quer em número de utentes, quer em volume financeiro.

No setor da terceira idade, a Misericórdia de Valpaços apoia cerca de 670 utentes, espalhados pelo concelho, em nove estruturas residenciais para idosos, quatro valências de centro de dia e ainda quatro valências de serviço de apoio domiciliário. Para além destas respostas sociais, a SCMV dispõe de um programa de emergência alimentar, que fornece diariamente 100 refeições gratuitas a pessoas carenciadas do concelho, referenciadas pelas equipas de ação social da Misericórdia, do Município e da Segurança Social.

Na vertente da educação são apoiadas cerca de 120 crianças, nas valências de creche e jardim-de-infância, onde se proporciona um ensino de qualidade e acessível às famílias mais carenciadas.

Constatamos que o interior tem sofrido uma acentuada desertificação nos últimos anos, vivenciando uma situação muito difícil. Daí que a Misericórdia assuma um papel deveras importante no suporte ao concelho, já que é uma entidade com criação líquida de emprego. Com aproximadamente 220 colaboradores, a SCMV é hoje o maior empregador privado e um baluarte na economia social de Valpaços.

Reafirmamos a estratégia de continuar a realizar uma gestão rigorosa, de contenção nas despesas e de maximização das receitas, por forma a podermos obter os resultados, que nos permitam cumprir um plano de investimentos audacioso.

Nos últimos anos têm sido efetuados investimentos significativos, designadamente com a construção da Estrutura Residencial Maria Ribeiro & Ricardo Mourão em Valpaços, equipamento social de elevada qualidade, e com a Ampliação da ERPI Dr.ª Maria Perpétua Fins Tavares em Lebução, que permitiu duplicar o número de utentes em Lar, dando resposta às inúmeras solicitações de internamento existentes para aquele equipamento social.

Recentemente foi adquirido no Largo do Município um edifício com valor arquitetónico, que brevemente será recuperado e requalificado, para aí ser instalada a sede social da instituição e os serviços administrativos.

Quanto ao futuro, pretende-se continuar a investir na modernização das instalações do setor social e na qualidade do serviço prestado, aproveitando o novo quadro comunitário, e que passa concretamente pela requalificação dos equipamentos mais antigos, designadamente as Estruturas Residenciais S. José e Francisco Teixeira, em Valpaços, com projetos já concluídos e aprovados. A par disso continuamos a ter a ambição de construir uma Unidade de Cuidados Continuados, desde que haja comparticipação pública para o efeito, existindo também já projeto e terreno.

Queremos simultaneamente proceder à ampliação de todos os outros equipamentos, para que seja possível dispor em cada um deles de um mínimo de 30 camas, o que nos vai permitir uma mais eficaz rentabilização dos recursos humanos e materiais já existentes, ao mesmo tempo que damos resposta aos inúmeros pedidos de internamento.

Apesar das dificuldades e obstáculos que temos encontrado, estamos firmemente determinados em avançar para as obras de modernização do nosso Hospital e a sua extensão à Ala Norte, onde prevemos instalar o Bloco Operatório, com internamento e SAP. O projeto de arquitetura já se encontra aprovado pelas várias entidades, no entanto este elevado investimento só poderá ter lugar, através de uma parceria estratégica e financeira com a Câmara Municipal de Valpaços, que esperamos venha a acontecer.

Tendo em vista a prestação aos nossos utentes de um serviço, de cada vez maior qualidade, que promova o seu bem-estar físico e mental, lançaremos ações de formação dos recursos humanos, recorrendo às medidas previstas no quadro comunitário, que se inicia, e que terá o seu epílogo na certificação europeia (EQUAS) dos nossos equipamentos.

Reconhecemos que o trabalho que temos vindo a desenvolver na instituição tem sido aliciante, pois tem permitido dar resposta aos problemas de caráter social, com que nos vemos confrontados diariamente, mas temos a exata noção de que só atingiremos os objetivos a que nos propomos no futuro se conseguirmos envolver neste projeto, todos os membros dos Órgãos Sociais, colaboradores, entidades locais e a população em geral.

Contamos por isso com todos, nesta nobre missão de ajudar os doentes, os idosos e as crianças.

 

O Provedor

Altamiro da Ressurreição Claro